Investimentos

Análises do Mercado Financeiro

Acompanhe aqui as principais análises dos nossos especialistas sobre o mercado financeiro.

Destaques do dia

 

BRASIL

 

1. O IBGE divulgou as vendas no varejo restrito, que recuaram 1,4% em junho ante maio, na série com ajuste sazonal. 

A queda veio mais acentuada que a mediana de projeções, de recuo de 1,0%.
 

 

 

MUNDO

 

1. Na Alemanha, a Destatis divulgou a taxa de inflação ao consumidor anual, que desacelerou de 7,6% em junho para 7,5% em julho. 

 A leitura veio em linha com o esperado.

 

2. Na China, segundo o Escritório Nacional de Estatísticas (NBS), o índice de preços ao consumidor (CPI) do país avançou 2,7% em julho, na comparação anual. 

O resultado acelerou em relação a junho, com alta de 2,5%, e ficou abaixo da previsão de aumento de 2,9%.

 

3. Nesta manhã, as bolsas asiáticas encerraram em queda, após a aceleração do CPI de julho na China em relação a junho. 

As bolsas europeias e os futuros de Nova York ensaiam recuperação. Petróleo cai.

 

Resenha Financeira

Última atualização: 10/08/2022, referente a 09/08/2022

 

 

Ásia: os índices da região encerraram sem sinal único, pressionados pela queda das ações de tecnologia no Japão. As perdas vieram do mercado japonês, após uma empresa de tecnologia divulgar prejuízo trimestral recorde, que impactou em suas ações. Neste quadro, o índice Nikkei em Tóquio caiu 0,88%. Por outro lado, na China, o índice Xangai aumentou 0,32% e o Shenzhen ganhou 0,24%, impulsionado pela alta dos papéis dos setores de carvão e de energia renovável. 

Europa: as bolsas europeias fecharam mistas, em meio à questão energética na Zona do Euro. Os recuos vieram do índice alemão DAX, de queda de 1,12%, e do parisiense CAC 40, que perdeu 0,53%, pressionados pelo corte do fornecimento de petróleo da Rússia para a Europa Central e Leste do continente. A notícia acrescentou cautela ao mercado, no pregão anterior a divulgação dos dados do CPI dos EUA. O corte de petróleo contribuiu para o índice de Londres, o FTSE 100, subir 0,08%, ante à alta dos preços da commodity.

EUA: o impacto da política monetária nas ações de tecnologia contribuíram para a queda dos índices de Nova York. Além da espera pelos dados do CPI dos EUA, a cautela foi impulsionado pela divulgação de resultados trimestrais de empresas de tecnologia abaixo do esperado. Nesse sentido, o índice Dow Jones cedeu 0,18%, o S&P 500 recuou 0,42% e o Nasdaq perdeu 1,19%. Os Treasuries fecharam em alta, e o T-note de 10 anos subiu a 2,79%. Em relação ao dólar, a moeda fechou misto ante rivais, e o índice DXY caiu 0,06%.

Brasil: os dados do IPCA, somado à divulgação da ata do Copom corroboraram com a visão de que o ciclo de juros está chegando ao fim. Essa perspectiva influencia o aumento de entrada de capitais no país, visto que a inflação ao consumidor apresentou queda de 0,68%, enquanto a ata reforçou que o Copom não parece disposto a seguir com o ciclo de aperto monetário. Diante dessa perspectiva, o Ibovespa fechou a sexta alta consecutiva, com ganhos de 0,23%. No câmbio, porém, o dólar avançou ante ao real 0,32%, a R$ 5,13. Nos juros, as taxas de médio e longo prazo subiram, acompanhando o movimento dos juros americanos. 

Relatórios Econômicos e de Investimentos

Outros relatórios

Agosto/2022

Panorama de Investimentos - RPPS