10 de Agosto de 2021

O Open Finance é seguro?

Conheça as leis que regulamentam esse sistema de compartilhamento de dados

Notícias | Open Finance

Agora que você já sabe que o Open Banking evoluiu para Open Finance e quais são as vantagens de contar com esse sistema financeiro aberto, pode ser que você já tenha se perguntado algumas vezes: “mas será que compartilhar meus dados com outras instituições financeiras é mesmo uma decisão segura?”

Antes de qualquer coisa, vale lembrar que: no início das conversas sobre a regulamentação do que hoje resultou no Open Finance, algumas normas brasileiras do setor, como a Lei do Sigilo Bancário e a Lei do Cadastro Positivo já tratavam sobre o compartilhamento de dados financeiros das instituições e dos usuários.

Em agosto de 2018, o governo federal criou a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) para apoiar legalmente o titular dos dados, adequando o uso das informações pessoais por todas aquelas empresas que as usam (inclusive o mercado financeiro), para acompanhar a transformação digital e se adaptar às constantes inovações tecnológicas.

Portanto, é correto afirmar que o Open Finance é seguro.

 

A relação entre a LGPD e o Open Finance

 

Além de estabelecer processos para as empresas e instituições utilizarem os dados, a LGPD regulamenta ações que envolvam o uso de informações pessoais. Desde a maneira como são coletadas até a sua eliminação do banco de dados da instituição.

Sendo assim, oferece segurança jurídica e exige a adaptação dos processos de negócios daquelas instituições que desejam tratar dados pessoais de maneira adequada.

 

A entrada do Sicredi e o consentimento dos associados

 

O Sicredi entrou no Open Finance de forma voluntária já na primeira fase da implementação no Brasil. Logo, estará presente em todas as etapas de implementação, muito antes da data obrigatória da sua participação.

Os associados poderão compartilhar seus dados com o Sicredi de forma gradativa e será necessário informar o motivo do compartilhamento. Por exemplo, a avaliação para aumento do limite de cheque especial ou cartão de crédito. E terá prazo de validade compatível, limitado a 12 meses, podendo encerrar antes disso se o associado desejar. Todo esse processo será feito em ambiente digital seguro pelo nosso aplicativo,  realizado somente pelo associado, sem interferência da instituição.

 

E as APIs? Elas também são seguras?

 

As APIs (Interfaces de Programação de Aplicativos), usadas pelos desenvolvedores para a comunicação entre os softwares na internet (como quando você se cadastra em um site de compras usando a sua conta de e-mail), também precisam cumprir uma série de regras e leis impostas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e Banco Central (BC) para fazerem parte do Open Finance.

Na prática, assim que essas APIs estiverem disponíveis para consulta, nossos associados poderão ter ofertas de produtos e serviços mais personalizados de forma ágil e segura.

Cadastre-se e saiba tudo sobre o assunto na nossa página. O Open Finance vai trazer mais autonomia para sua vida financeira e transparência nas relações entre pessoas e instituições.
 

Ver todos os posts