15 de Abril de 2022

Open Finance: aprovado por 79% dos brasileiros, modelo facilita acesso da população ao sistema financeiro

Sistema Financeiro Aberto completou um ano no Brasil e a Sicredi Recife enfatiza a segurança do processo

Notícias | Inovação

O Open Finance - ou Sistema Financeiro Aberto - completou um ano no Brasil neste mês de março. Apesar do pouco tempo de operação no país e de ainda estar em fase de implementação, pesquisa realizada pela empresa Axway revelou que 79% dos brasileiros veem como positiva a adoção do sistema. 

Por meio do Open Finance, instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central têm acesso a informações de pessoas físicas e jurídicas que ainda não são suas clientes, como informações de conta corrente, cartão de crédito e investimentos,permitindo a oferta de serviços e produtos personalizados para cada usuário.

Precursor na adoção de novas tecnologias no sistema financeiro, o Sicredi já integra a lista de instituições credenciadas pelo Banco Central. A entrada da instituição no Open Finance ocorreu de maneira voluntária ainda na primeira fase da sua implementação no Brasil, quando a obrigatoriedade seria na fase três.

“É por meio do Open Finance que temos acesso a informações detalhadas sobre diversos produtos e movimentações financeiras. Na Sicredi Recife, enfatizamos a segurança do processo de compartilhamento e reforçamos nosso interesse no recebimento desses dados para propor ofertas cada vez mais personalizadas que façam a diferença na vida financeira dos associados.” – informa Erick Aragão, Gerente de Negócios da Sicredi Recife.

“Sempre tivemos uma relação aberta com nossos associados e queremos aprimorar cada vez mais esse contato. Por isso, o nosso pilar de inovação é tão importante, pois nos orienta a buscar melhorias na nossa atuação, como a entrada na primeira fase do Open Finance, mesmo não sendo obrigatória naquele momento”, declara Wellington Silva, diretor executivo da Central Sicredi Norte/Nordeste.

No Sicredi, o Open Finance dá protagonismo aos associados, em um sistema de compartilhamento dos dados feito de maneira completamente segura: todo o processo é feito nos canais digitais oficiais da cooperativa, como o app e o Internet Banking, além do acompanhamento presencial realizado por profissionais nas agências. Com essa gama de opções, o associado tem um poder de decisão ainda maior sobre sua vida financeira.

“Somente o associado pode iniciar o processo de compartilhamento de dados nos nossos canais oficiais, escolhendo o objetivo e o nível de detalhamento de informações que vai compartilhar. Os dados ficam disponíveis por até 12 meses ou até que o associado o encerre. Todo esse processo é regulado pelo Banco Central e protegido pela LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados)”, afirma Wellington Silva.

Autonomia do Cliente – Desde março, é possível solicitar propostas de operação de crédito a partir do histórico que o usuário possuir em outra instituição realizando o compartilhamento de dados. A partir de maio, ele terá a opção de compartilhar seus dados de câmbio, investimentos, seguros, previdência complementar aberta, entre outros produtos para obter melhores ofertas e condições.

Assim, poderá escolher a proposta que melhor se adequa ao seu caso, ganhando autonomia em relação aos serviços que vai utilizar.

“As vantagens do Open Finance vão desde a inovação no segmento, que permite que as instituições evoluam com as soluções que já trabalham e criem serviços ainda melhores, passando pela autonomia e experiência do associado/cliente, até o efetivo compartilhamento de seus dados, escolhendo quais são, para quais instituições, o objetivo e o período”, concluir o diretor executivo da Central Sicredi Norte/Nordeste.

Ver todos os posts
 
Notícias relacionadas