4 de Maio de 2022

Você sabe como desenvolvemos os princípios do cooperativismo?

Utilizamos os princípios do cooperativismo no nosso dia a dia com o objetivo de causar impacto positivo nos associados e nas regiões onde estamos

Notícias | Institucional

Como colocar os valores do cooperativismo em prática? Para guiar os cooperativistas ao redor de todo o mundo, foram estabelecidos os sete princípios do cooperativismo. Em 1995, em um congresso coordenado pela Aliança Cooperativa Internacional (ACI), ocorreu a última atualização da lista dos 7 princípios que regem o cooperativismo até hoje. Vamos revisitá-los e entender como cada um se aplica aqui no Sicredi? 

1. Adesão livre e voluntária 

As cooperativas são organizações voluntárias, abertas a todas as pessoas aptas a utilizar os seus serviços e assumir as responsabilidades como membros, sem discriminação de sexo ou gênero, social, racial, política e religiosa. 

Aqui no Sicredi, o nosso propósito de construir juntos uma sociedade mais próspera está diretamente ligado à inclusão e diversidade. Não aceitamos discriminações sociais, raciais, políticas, religiosas, de gêneros, entre outras. E, claro, a adesão dos nossos associados deve ser espontânea e voluntária a partir de uma decisão consciente. 

2. Gestão democrática 

As cooperativas são organizações democráticas, controladas pelos seus membros, que participam ativamente na formulação das suas políticas e na tomada de decisões. Os eleitos como representantes dos demais membros são responsáveis perante estes. Nas cooperativas de primeiro grau, os membros têm igual direito de voto (um membro, um voto). 

Todos os nossos associados, independentemente de tempo de associação e capital investido, têm direito a um voto de peso igual nas deliberações em nossas assembleias. Isso garante que os nossos associados estejam sempre no topo da pirâmide de decisões sobre os rumos da cooperativa, tendo um papel de protagonismo no futuro da sociedade e da sua região. 

3. Participação econômica 

Os membros contribuem equitativamente para o capital das suas cooperativas e o controlam democraticamente. Parte desse valor é propriedade comum da cooperativa. O excedente é destinado a uma ou mais das seguintes finalidades: desenvolvimento da cooperativa, possibilitando a formação de reservas, em parte, indivisíveis; retorno aos sócios na proporção de suas transações com as cooperativas; e apoio a outras atividades que forem aprovadas pelos associados. 

A nossa instituição garante que os resultados das operações geradas pelos nossos associados retornem proporcionalmente, conforme o valor investido em capital social e o nível de principalidade. A destinação desses valores é decidida democraticamente nas assembleias, permitindo o desenvolvimento de cada região onde estamos e o giro da economia local. 

4. Autonomia e independência 

As cooperativas são organizações autônomas, de ajuda mútua, controladas pelos seus membros. Se firmarem acordos com outras organizações, incluindo instituições públicas, ou recorrerem a capital externo, devem fazê-lo em condições que assegurem o controle democrático pelos seus membros e mantenham a autonomia da cooperativa. 

Mesmo pertencendo ao nosso Sistema, as nossas cooperativas, junto a cada um dos seus associados, têm autonomia para aderir a programas, iniciativas, formas de distribuição de resultados, definição de objetivos e planejamento estratégico. 

5. Educação, formação e informação 

As cooperativas promovem a educação e a formação dos seus membros, dos representantes eleitos e dos trabalhadores de forma que estes possam contribuir, eficazmente, para o seu desenvolvimento. Informam o público em geral, particularmente os jovens e os líderes de opinião, sobre a natureza e as vantagens da cooperação. 

Há mais de 115 anos, acreditamos que educação, formação e informação são grandes chaves do sucesso do cooperativismo. Por isso, investimos em ações que apoiam o desenvolvimento das comunidades onde estamos, como: 

A União Faz a Vida: a partir da disseminação da cooperação e cidadania entre crianças e adolescentes, promovemos o desenvolvimento dos jovens, que são protagonistas dos impactos na sua comunidade. 

Programa Pertencer: fazemos um acompanhamento sistêmico para apoiar as cooperativas para que elas consigam engajar os associados a estarem presentes em assembleias, reuniões e momentos de tomada de decisão. Só existe cooperação com participação. 

Programa Crescer: proporcionamos experiências para que as pessoas conheçam mais sobre o cooperativismo a partir de uma frente de educação aberta para todos: associados, não associados, conselheiros, coordenadores de núcleo e colaboradores. 

Comitê Jovem: o propósito do Comitê Jovem é atrair e manter os jovens na nossa instituição através de ações de desenvolvimento pessoal e profissional, que despertem o interesse deles em participar de uma organização financeira cooperativa, tornando-o um promotor do cooperativismo e protagonista social na região onde mora. 

Comitê Mulher: também atuamos para promover a equidade de gênero, o empoderamento e a capacitação de mulheres para que elas possam, cada vez mais, assumir novos papéis de protagonismo e liderança nas cooperativas e nas suas regiões. 

Relatório de Sustentabilidade: acreditamos na força de fazer juntos para promover mudanças positivas e desenvolver a sociedade de um jeito sustentável. O nosso Relatório de Sustentabilidade traz os principais resultados do ciclo virtuoso de desenvolvimento econômico, social e ambiental gerado pelo cooperativismo. 

6. Intercooperação 

As cooperativas servem de forma mais eficaz aos seus membros e dão mais força ao movimento cooperativo ao trabalhar em conjunto através de estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais. 

O nosso modelo de negócio em si está totalmente relacionado a esse princípio. Somos o resultado de várias cooperativas de crédito, espalhadas por todo o país, unidas em um único sistema, representando a mesma marca, compartilhando as mesmas tecnologias e tendo acesso aos mesmos produtos e serviços. 

7. Interesse pela comunidade 

As cooperativas trabalham para o desenvolvimento sustentado das suas comunidades através de políticas aprovadas pelos membros. 

O cooperativismo de crédito vem desenvolvendo um papel relevante para proporcionar acesso a serviços financeiros completos para moradores de municípios considerados de difícil acesso a instituições financeiras. É o que mostra o nosso estudo da série “Benefícios do Cooperativismo de Crédito”. E a nossa expansão para todo o país é um exemplo de como estamos focados no desenvolvimento social de todas as regiões, sempre seguindo o princípio de colocar o associado no centro das nossas ações, conforme o nosso Planejamento Estratégico para 2023. 

Ver todos os posts
 
Notícias relacionadas